Um terço das ofertas em 2018 eram falsas, aponta levantamento da Promobit

Avatar
No Dia da Mentira, plataforma de descontos na internet mostra aumento no número de descontos ilusórios

Se tem algo que o consumidor brasileiro está cansado, é de ser enganado. Apesar do amadurecimento do comércio eletrônico brasileiro, tanto pela parte das lojas quanto dos clientes, as promoções mentirosas ainda são bastante presentes em todos os dias do ano, não só no 1º de abril. 

Para termos uma noção da quantidade de promoções falsas (quando o valor não está realmente baixo ou quando os e-commerces sobem o preço para reduzir depois) e até mesmo golpes que aparecem diariamente, a Promobit, maior comunidade de descontos e promoções da internet, fez uma pesquisa com todas as ofertas que apareceram na plataforma em 2018 e quantas delas eram reais.

Segundo o levantamento, que levou em consideração as 121.045 promoções que foram enviadas, 33%, ou seja, 39.944 delas eram falsas. Isso representa que 1/3 das ofertas na internet não são confiáveis. Leandro Menezes, CTO do Promobit, ressalta que mais preocupante do que esse número, é o aumento considerável do ano passado, quando esse percentual era de 25%.

“Com o volume de envio de ofertas cada vez maior, tivemos que rever os critérios de avaliação das ofertas enviadas. Ao aumentar esse grau de exigência, identificamos que a quantidade de promoções que não são reais e lojas que não atendem aos critérios de segurança têm aumentado. No ano de 2017 tivemos cerca de 25% de todo o conteúdo enviado para nós bloqueados pelos mesmos critérios de avaliação, e em 2018 essa representatividade aumentou para 33%”, explica Menezes.

Preço alto é o maior problema

O estudo realizado pela plataforma de descontos também analisou o motivo pelo qual essas ofertas foram bloqueadas. Na grande maioria dos casos, 76%, o preço foi o principal motivador pelo bloqueio das ofertas, mas lojas não confiáveis, com 10,4% e marketplaces não confiáveis, com 9,8%, também foram bem representativos. Os 4% restantes eram formados por diversos outros motivos, incluindo phishing, links maliciosos e outros tipos de golpes.

Um dos motivos de ter tantas ofertas bloqueadas pelo preço alto é o rígido método de análise do Promobit, como explica Leandro Menezes. “Hoje, utilizamos ferramentas internas de histórico de preços e comparação de produtos, além de mecanismos para comparação com outras lojas. E assim identificamos quais são reais e quais estão pela ‘metade do dobro’, comenta o CTO.

“Também contamos com um score interno onde avaliamos se a loja é confiável e levamos em consideração desde selos de segurança até o tempo que o CNPJ existe. Temos sistemas automáticos que detectam se o site é um possível Phishing”, complementa.

Cuidado ainda maior em datas tradicionais de promoções

No levantamento, o Promobit encontrou um movimento de intensificação das ofertas falsas em todas as datas que são famosas pelas grandes promoções. Na Black Friday do ano passado, por exemplo, esse percentual subiu para 41%. Por isso, assim como os descontos, os cuidados devem ser mais altos.

“No último Black Friday, não apenas tivemos menos ofertas relevantes no total, como também notamos um aumento de promoções falsas. Recebemos mais envios com produtos que não estavam tão baratos ou lojas não confiáveis. Isso apenas nos reforça em acreditar que prestamos um serviço de curadoria de qualidade para nossos usuários. Hoje podemos dizer que nosso conteúdo é confiável, e nossa comunidade pode se preocupar apenas se está na hora certa de comprar determinado produto”, pontua Leandro Menezes.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

In the news
Carregar Mais