Ricardo Minc – Seguro para entretenimento é um segmento que cresce em termos de Brasil

Avatar

Corretora brasileira especializada e líder em seguros para a indústria da criatividade e que soma 450 clientes top of mind em seus segmentos, a Affinité atua especificamente com seguros voltados ao entretenimento (onde se encaixam, por exemplo, as ações de marca), audiovisual (voltado para produções de conteúdos como comerciais) e artes. Esse é um mercado que está em ascensão no exterior (inclusive com modalidades de apólice que as agências no Brasil ainda não despertaram) e que começa a chamar a atenção dos players brasileiros de propaganda e de promoção, principalmente em razão da segurança e do apoio em casos de gestão de crise. Fomos ouvir o CEO da Affinité, Ricardo Minc para saber como atua nesse segmento.

– Quem é a Affinité?

R: A Affinité é uma corretora de seguros que atua neste ramo a mais de 20 anos no mercado, sendo responsável pela introdução de modalidades de seguros no Brasil,

exclusivamente, em três segmentos: artes, entretenimento e audiovisual. A Affinité desfruta de prestígio e reputação perante as companhias seguradoras, 

atuando, inclusive, como consultoria, sendo referência no mercado nacional de seguros especializados.

A Affinité desenha coberturas de seguros para cada projeto de nossos clientes levando em conta todas as etapas, desde a concepção até
possíveis desdobramentos posteriores à realização. 

– O que levou você a criar uma corretora especializada em seguros para a indústria do entretenimento?

R: Acho que de um modo geral somos todos, de alguma forma, ligados a indústria do lazer e do entretenimento, está é a parte social das nossas vidas. Não há como falar em cultura sem mencionar, por exemplo, a indústria criativa é ela que enriquece nosso repertório e nos faz sermos seres culturais.  Quando comecei a operar no mercado de seguro, fui pesquisar que tipo de seguros e quais ferramentas podiam ser utilizadas na indústria criativa de lazer, esporte e entretenimento e me dei conta de que a demanda para esse tipo de segmento no Brasil não era atendida com qualidade. Fui aos Estados Unidos e a Londres para trazer referências de produtos, serviços e formas para operacionalizá-las.


– Porque o mercado de seguros para entretenimento no Brasil é tão pouco explorado?

R: Quando iniciamos percebemos que era muito baixo a cultural de proteção, por vários motivos, o próprio mercado de seguros era incipiente, não possuía as coberturas adequadas, por deficiência de produto existia muita falta de credibilidade no seguro, muitos sinistros não eram indenizados. Também por falta de massa de risco o seguro, geralmente, era muito caro.

Como sabemos, um dos principais fundamentos do seguro é a lei dos grandes números e o mutualismo, ou seja, quanto mais pessoas contratam seguro mais barato fica por grupo. Então, ano após anos nossa tarefa é educar o mercado, iniciamos com as contratações de seguros básicos e estamos percebendo que chegamos num momento mais apropriado com o oferecimento de produtos mais sofisticados.  A cada sinistro que pagamos a cada incidente que acontece às pessoas vão adquirindo mais cultura e percebendo a verdadeira importância do valor agregado do seguro. Uma das principais dificuldade do mercado é a educação e cultura do seguro, tanto pelo lado das seguradoras como pelo lado do corretor e clientes. Deste modo, destacamos a figura do corretor especializado que é parte fundamental deste mercado, à medida que os corretores que são representantes dos clientes exigem das seguradoras produtos mais adequados aos riscos, pagamentos de sinistro mais ágeis, coberturas mais abrangentes e preços mais competitivos isso faz com que haja uma percepção da real importância do seguro. E uma das maneiras para dar a devida importância ao seguro é quando acontece o sinistro ou incidente.


– Essa modalidade de seguro é representativa no custo total de um evento?

R: Definitivamente não, pode variar de menos de 0,2% até 2% do budget do evento e acreditamos que não é um custo e sim um investimento de baixo custo e alta eficiência. Vou tentar explicar o porquê da nossa afirmação.

Uma produtora que contrata o seguro de Responsabilidade Civil com limite de R$ 1.000.000,00 de reais para um evento até 1.000 pessoas vai investir R$ 401,26 neste seguro e, automaticamente, aumentará o seu capital para R$ 1.000.000,00 em caso de se responsabilizar por danos causados a visitantes.

Se olharmos como gestor, seja da empresa parceira, patrocinadores, promotor ou produtor do evento, podemos afirmar que é sempre melhor a contratação de empresa com um capital maior para fazer frentes a eventuais dificuldades que possa aparecer trazendo desta forma mais profissionalismo, segurança e confiabilidade para todos.

Ainda é comum no mercado encontrar produtores ou promotores que acreditam que economizar no seguro é aumentar o lucro. Concordamos com esta afirmação, porém, precisa-se economizar de maneira inteligente sem diminuir o escopo e a qualidade das coberturas e o melhor parceiro para isto é seu corretor de seguro de longo prazo especializado.  

Nossa equipe é treinada e especializada e este know how vem em paralelo com a quantidade de eventos segurados, mais de 5.000 que nos traz a experiência de sabermos o custo certo das diferentes coberturas e, desta forma, procurar a melhor seguradora disponível no mercado. Diferente dos corretores generalistas que contratam este tipo de apólice com pouca frequência. 

Da mesma forma que na consultoria para conseguir o melhor custo beneficio do seguro é no sinistro que o corretor especialista pode ajudar muito mais. Nossa corretora indeniza quase 300 sinistros por ano, ou seja, temos a comprovada experiência com o fluxo, a documentação, os gargalhos e é neste momento da entrega (pagamento da indenização) que fica comprovada nossa qualidade de serviço. A experiência com a grande quantidade de sinistro também alertar para coberturas importantes que muitas vezes podem ter baixa frequência mais ter amplitude catastróficas.

Voltando a diminuição do custo, acreditamos que sem consultar um corretor realmente especializado é certo que está economia, provavelmente, se dará através da diminuição de coberturas e limites e consequentemente diminuir sua capacidade financeira, deixando seus clientes e parceiros mais vulneráveis. Nosso entendimento e objetivo é sempre proporcionar as empresas envolvidas nestas atividades um seguro bem feito e bem contratado.

– Que tipo de evento pode ser enquadrado nessa modalidade de seguro?

R: Shows, festivais, confraternizações, lançamentos de produtos, ativações, exposições, mostras, feiras, convenções, congressos, palestras, musicais, peças teatrais, cocktails, batizados, casamentos, noivados, circos, festas infantis, entre outros.


– Contratar esse tipo de seguro é burocrático?

R: Não, pode ser contratado de duas maneiras: por meio de uma cotação da qual temos uma equipe especializada em cada um dos segmentos e, também, com a novidade da nossa plataforma Affiniline, na qual o cliente tem a opção de contratar 5 dos nossos principais produtos online, com rapidez e comodidade. A Affinité é a primeira corretora no Brasil a oferecer essa modalidade de contratação.

– Contratar um seguro para eventos é acessível para as pequenas agências e médias agências?  

R: Sim, e na nossa percepção é  fundamental.  De maneira geral, existem dois tipos de cobertura de seguros para eventos. A primeira, denominada básica, refere-se à responsabilidade civil do organizador e do expositor (no caso de feiras e exposições).

A cobertura básica é a que passará a ser obrigatória caso o PL 1/2015 seja aprovado e a lei passe a vigorar. Ela garante até o limite de gastos previstos na apólice e o pagamento de indenização as pessoas que sofrerem qualquer tipo de acidente durante a realização do evento, levando em consideração que as coberturas básicas da Affinité, são as mais completas do mercado.

Entretanto, apesar da cobertura básica já trazer uma boa dose de tranquilidade a empresa no momento de organizar e promover um evento corporativo seguro e confiável há inúmeros tipos de intercorrências que podem acontecer durante uma ação desse tipo. Para cada uma delas, existem as chamadas coberturas adicionais. Ao agregá-las à apólice é possível prevenir-se contra:

. Danos a equipamentos durante sua montagem, instalação, utilização, desmontagem e transporte;

. Cancelamento e Interrupções Temporárias;

. No show , dano, furto ou roubo de veículos de convidados ou de funcionários que estejam estacionados no local do evento;

. Não utilização do espaço do evento;

.Danos a equipamentos em exposição;

. Subtração de valores de bilheterias;

. Cancelamento do evento devido a fenômenos climáticos;

. Acidentes e intercorrências com fogos de artifício;

 Alguns casos de sinistros solucionados pela Affinité:

  • Cancelamento total de show de artista internacional devido a condições climáticas adversas (U$D 2 MM).
  • Doença com cantor internacional que provocou cancelamento de shows em São Paulo, Curitiba, Santiagoe Buenos Aires (U$D 1,8 MM).
  • Cancelamento de show devido a vendaval com consequente queda do palco (U$D 1,7 MM).
  • Morte de um instalador durante montagem de exposição (U$D 2 MM).
  • Indenização para restauro em outro país de escultura pesando uma tonelada, pertencente a um dos maiores conglomerados financeiros Brasileiros.
  •  Indenização de Obras de Arte Italianas pertencentes à famosa coleção (U$D 700 M).
  • Centenas de indenizações referentes a gastos médicos com acidentes pessoais em viagens e filmagens.

São mais de 42,5 milhões de reais indenizados.  E mais de 300 produções indenizadas.

Ricardo Minc, Diretor Técnico da Affinité, corretora de seguros para indústria criativa.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

In the news
Carregar Mais