Programa de inovação social da Red Bull conecta e impulsiona empreendedores que estão transformando realidades

Avatar

Red Bull Amaphiko já conta com uma rede de 45 empreendedores sociais pelo Brasil

O Red Bull Station, os festivais de música e as atividades com atletas já são ações conhecidas da Red Bull. Além das áreas de cultura e esportes, a empresa possui um setor que promove e fomenta a inovação social. Um de seus programas é o Red Bull Amaphiko, que conecta e impulsiona empreendedores sociais que esta~o usando seus talentos e energia para trazer soluções a desafios sociais que podem transformar realidades.

“Asas” em zulu, Amaphiko surgiu em 2014 na África do Sul e se transformou em uma plataforma global para empreendedores sociais que criam mudanças positivas por meio da inovação. Existe com a missa~o de inspirar a sociedade a colaborar com esse movimento e fazer do mundo um lugar melhor pra se (con)viver. Conheça mais sobre em: www.redbull.com/br-pt/projects/red-bull-amaphiko/

No Brasil, atualmente conta com uma rede de 45 empreendedores nas mais diversas áreas como sustentabilidade, justiça social, educação, dança e acessibilidade. Alguns projetos com destaque nacional e mundial, como o Pimp My Carroça do artista Mundano, que luta para tirar os catadores de materiais recicláveis da invisibilidade e o Politize!, plataforma de educação política referência no país.

Atualmente, a Red Bull Amaphiko realiza uma ‘academia’, em que 15 projetos são selecionados para residência de 10 dias com inovadores, empreendedores e contadores de histórias do mundo. A partir daí, eles contam com suporte individual com um mentor experiente que ajuda a atingir todo o potencial, desenvolver um plano estratégico de negócios e dar vida às ideias por 18 meses. Desde a primeira edição em Soweto, na África do Sul, em 2014, a Red Bull Amaphiko Academy se espalhou para São Paulo, Cidade do Cabo e Baltimore.

Asas para empreendedores
“O programa olha para as pessoas que fazem parte dos projetos e não só o negócio que ela está à frente e isso fez uma grande diferença para tomada de decisões mais certeiras”, ressalta Ariane Santos, criadora da Badu Design e participante da turma de 2017. Para ela, a rede em que a Red Bull coloca os participantes possibilita expandir as atividades do projeto, abre portas e passa credibilidade para seu negócio.

A empresa social de Curitiba produz materiais de papelaria, decoração e acessórios com resíduo têxtil das indústrias, empregando mulheres em situação de vulnerabilidade social. Por meio da Red Bull Amaphiko, teve apoio para a primeira exportação, para Áustria. “A Red Bull não só abriu as portas, mas se colocou à disposição para ensinar a dinâmica de exportação e nos preparar para futuros envios internacionais. Todos os pedidos geraram mais de R$ 20.000 em receita para a Badu. A rede da Red Bull nos auxiliou a ampliar o número de produtoras/empreendedoras de 280 para 480, em um ano’, completa.

O programa também realiza um festival anual, que vai para sua terceira edição em dezembro de 2018 e acontecerá pela primeira vez no bairro do Grajaú, em São Paulo, visando fomentar o empreendedorismo social local. Apoia ações e eventos pontuais ao longo do ano por todo o país, como o Amaphiko Conexão, que esse ano reuniu mulheres empreendedoras de Santa Catarina, e a 4ª Conferência SSEX BBOX, encontro anual que discute questões relativas à população LGBTQIA+, cujo fundador Priscilla Bertucci, foi um dos selecionados para a Academy de 2017.

Mais impacto social
A área de inovação social também conta com o programa Red Bull Basement, focado em apoiar ações que usem a tecnologia como ferramenta de impacto social. Surgiu em 2015 no Brasil e hoje está presente em 22 países, inclui uma residência hacker, um makerspace, palestras regulares, um festival anual e o Basement University, focado em soluções para o cotidiano universitário.

Conheça mais em www.redbull.com/br-pt/projects/red-bull-basement

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

In the news
Carregar Mais