Pesquisa estima crescimento de 80% no mercado de eventos em 2020

Avatar
Segundo ano consecutivo do estudo da Eventbrite feito em parceria com a agência Mantis Research mostra as principais tendências do setor para este ano

Com o objetivo de dar um panorama do mercado de eventos no mundo, a Eventbrite, plataforma global de venda de ingressos e tecnologia para eventos, realizou um levantamento em parceria com a agência Mantis Research durante o último mês de outubro de 2019. A pesquisa contou com mais de 6.800 entrevistados, sendo 480 da América Latina (Brasil e Argentina), sendo 51% dos respondentes brasileiros.

O estudo aponta que 78% dos organizadores brasileiros pretendem fazer mais eventos em 2020, devendo também aumentar suas equipes em 66% dos casos para atender a demanda. Na outra ponta, apenas 3% dos entrevistados afirmam que irão produzir um menor número de eventos. Mundialmente, o país lidera as expectativas na área, à frente do Reino Unido, que pretende aumentar em 58%, e Alemanha, com 56%.

Os resultados obtidos mostram o amadurecimento e consolidação do segmento, que, entre brasileiros, costuma movimentar as empresas do setor e produtores, que chegaram a preparar ao menos um evento por mês em 2019 – 32% dos entrevistados. “O dado, além de demonstrar como o mercado permaneceu aquecido, ilustra como diversas edições de uma feira, show ou festival podem ocorrer em um único ano”, comenta a Head de marketing da Eventbrite América Latina, Beatriz Oliveira.

Motivações

Segundo os organizadores que responderam a pesquisa, gerar receita é o maior motivador (66%), seguido por divulgação de suas marcas ou causas (59%) e educação e treinamento (54%). Se comparado com o resultado anterior (2018), educação e treinamento cresceram 45% em 2019 frente às citações em 2018. Em relação às categorias, as previsões para 2020 são parecidas com as realizadas em 2019: treinamentos e workshops também ficaram no topo da lista com 53%, enquanto ocasiões para networking apareceram em 33% das respostas.

Para produzir, a maioria dos organizadores (67%) conta com o valor arrecadado com a venda de ingressos, seguida por patrocínio (58%) e parcerias (41%). “As principais escolhas da fonte de receita em nossa última pesquisa foram exatamente as mesmas citadas para 2020, inclusive, na mesma ordem. Esse número nos mostra como as vendas de ingressos continuam sendo de extrema importância para a saúde financeira dos eventos no Brasil, ressaltando a necessidade de oferecer alternativas e meios eficazes para isso – como as plataformas on-line, por exemplo – para gestão e garantir os valores necessários para a realização do evento”, analisa Beatriz Oliveira.

Diversificação de público

Apesar da grande importância do público para a marca e para o orçamento, alcançar novos consumidores é ainda o grande desafio de 66% dos entrevistados, percentual que se mantém semelhante a pesquisa anterior (com acréscimo de 1%). “Embora seja bem relevante, ainda é muito pequeno o número de organizadores que usam diferentes táticas de marketing para a divulgação de seus eventos. Grande parte deles ainda trabalha com os meios convencionais, como redes sociais com posts orgânicos e e-mail marketing, e não se aventuram com o uso de novas plataformas, mesmo sabendo sobre a sua efetividade em outros segmentos”, pondera Beatriz Oliveira.

Com isso, o boca a boca continua sendo a propaganda mais efetiva, na opinião dos organizadores, concentrando 63% dos investimentos em marketing, seguido pelas mídias sociais, que têm espaço em 51% das estratégias. Até por isso, 48% dos respondentes querem contratar profissionais de marketing e comunicação. “Essa informação reforça a importância da constante busca por qualificação das pessoas que trabalham ou pretendem atuar nesta área, uma vez que o mercado está sempre em busca de novidades e tendências”, lembra Beatriz.
Na hora de avaliar o sucesso de uma feira, show ou festival, as principais métricas de monitoramento são as redes sociais, utilizadas em 57% dos casos, seguido do feedback passado pelos presentes com 52% e do número de participantes novos nas edições anteriores (41%).

Sustentabilidade e Diversidade

Como tendências para o ano de 2020, 68% dos organizadores apontaram que sustentabilidade é uma preocupação e que pretendem adotar medidas que diminuam o impacto negativo no meio ambiente. Dos respondentes, 62% consideram a oferta de materiais reutilizáveis ou biodegradáveis para os serviços de alimentação e bar e 68% já optam por ingressos e inscrições on-line.

Além da preocupação com as questões ambientais, os organizadores querem criar eventos mais inclusivos. O Brasil liderou o ranking global da pesquisa com 69% dos respondentes preocupados com a diversidade e que afirmaram ser uma das suas prioridades para 2020. 81% deles buscam constantemente por novas maneiras de promover seus eventos para um público diverso e 36% procuram proativamente por palestrantes que ofereçam conteúdo inclusivo.

Segundo Ezio Jemma, organizador e diretor de comunicação e entretenimento da Hamburgada do Bem, uma das maiores preocupações da equipe é o resíduo que gerado por conta das embalagens de refrigerantes/sucos e nos copinhos plásticos. “Para isso, temos os nossos copos/squeezes oficiais disponíveis na nossa lojinha on-line e no dia do evento para que, logo na chegada, o pessoal já adquira o seu e o utilize para sempre nas Hamburgadas e na vida. A adesão é maravilhosa, visto que ele também se torna uma lembrança. Outras ações importantes que estamos tomando é a de fazer parcerias com cooperativas que recolhem as garrafas de refrigerante e suco para reciclagem. É ótimo para a cooperativa, para nós e para o meio ambiente. Fora isso, temos brincadeiras focadas nesse tipo de educação e estimulamos os voluntários a passar isso para as crianças.”

Quem é o profissional de eventos?

Segundo a pesquisa, os organizadores, em sua grande maioria, são multitarefas, uma vez que 41% possuem entre duas e quatro pessoas no time. Esse número comprova a versatilidade desses profissionais, sendo que atividades distintas – da escolha do local ao gerenciamento da venda de ingressos – são realizadas por uma única pessoa ou por equipes muito enxutas.

Apesar desse mix de funções e tarefas, quem trabalha na área não pretende sair: dos entrevistados brasileiros, 64% mostraram-se satisfeitos com os seus empregos e atividades. “Vale ressaltar que tivemos um aumento considerável neste número quando comparamos com os resultados do ano passado, que somaram 52%”, finaliza Beatriz.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

In the news
Carregar Mais
%d blogueiros gostam disto: