Fabiana Macedo – A importância da comunicação e das redes sociais no meio jurídico

Avatar

Em um mundo com clientes cada vez mais conectados, é essencial que os advogados adotem formas mais claras e modernas de comunicação para aproximar a Justiça do cidadão

*Por Fabiana Macedo

Nos últimos anos o mundo tem presenciado uma série de inovações tecnológicas que mudaram a forma como as pessoas se comunicam, trabalham, se divertem, consomem produtos e serviços. Setor tradicionalmente conservador, o meio jurídico brasileiro abraçou inicialmente de forma discreta essa onda de inovação e começa a se render às facilidades que a tecnologia pode propiciar ao cidadão e aos trabalhadores do setor. Afinal, não se trata de apenas uma questão de gosto. Contar com as ferramentas mais eficientes para o seu trabalho e para a comunicação é um fato essencial para a qualidade e competitividade de um escritório de advocacia.

Seja na grade dos cursos de direito (que passaram recentemente a contar com matérias como “direito digital e eletrônico” e “ciência, tecnologia e sociedade”), seja em escritórios respeitados, a importância de o advogado se integrar ao mundo da tecnologia e das redes sociais é evidente. Afinal, por um lado os clientes chegam com demandas associadas ao uso dessas ferramentas, como processos que falam sobre a divulgação indevida de fotos na internet ou do furto de dados por meio de computadores e smartphones. Por outro, boa parte dos processos em estados como São Paulo já são digitais, com os trâmites realizados de forma online. Além disso, a tecnologia pode ser uma grande aliada dos advogados. Já existem sistemas de inteligência artificial que fazem o monitoramento frequente de temas delicados, com alertas e identificação de pessoas. Esse tipo de ferramenta tem grande utilidade, principalmente, na gestão de crises.

Menos “juridiquês”

Para se comunicar de forma eficiente com um maior número de pessoas nesse mundo digital, é essencial que os advogados, além de adotarem essas novas plataformas de comunicação, aceitem que é necessário falar e escrever de uma forma que não apenas as pessoas do seu meio entendam. Afinal, o princípio básico da comunicação eficiente estabelece que não basta enviar uma mensagem. É necessário garantir que ela seja recebida e entendida pelo destinatário.

A Associação dos Magistrados do Brasil criou há alguns anos (em resposta a uma pesquisa feita pelo Ibope, que apontava a linguagem jurídica como incompreensível para grande parte da população) uma campanha para incentivar seus membros, integrantes do Ministério Públicos e outros profissionais do direito a refletirem sobre a necessidade de simplificar a linguagem utilizada pelos profissionais do direito. Porém, ainda há muito a ser feito nesse sentido.

É necessário ir além do chamado “juridiquês”, evitar textos longos e complexos, cheios de termos técnicos, palavras em latim e que promovem um distanciamento entre a Justiça e a sociedade. Esse processo é semelhante ao que aconteceu com a área de tecnologia nos últimos anos. O “tecniquês” cedeu espaço para publicações e sites que utilizam termos menos herméticos, o que facilitou a popularização de equipamentos como computadores e smartphones.

Abrace as redes

Para que um escritório se destaque no cenário atual, a presença nas redes sociais é muito importante. E uma das redes essenciais quando o assunto é o ambiente profissional é o LinkedIn. É preciso que os advogados participem dessa rede de forma constante e relevante, mostrando o conhecimento no setor que atuam, propondo discussões e publicando comentários sobre temas relevantes. Além disso, é necessário escrever e publicar artigos nessa rede relacionados à área de atuação pelo menos duas vezes por mês. Isso atrairá seguidores, aumentando a rede de contatos, relevância do perfil e tornando o advogado um nome em potencial a ser consultado para futuros casos – ou até mesmo a ser fonte para reportagens. O LinkedIn possui uma ferramenta (o Social Selling Index) que mede a eficácia em estabelecer a marca profissional do usuário, localizar as pessoas certas e de interação com o uso de insights.

As novas tecnologias e formas de comunicação trazem desafios para quem trabalha há muitos anos na área jurídica, mas também propiciam uma série de oportunidades para profissionais dinâmicos, sempre dispostos a aprender.

*Fabiana Macedo é CEO da Punto Comunicação

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

In the news
Carregar Mais